SITUAÇÕES/ACÇÕES MAIS FREQUENTEMENTE VERIFICADAS



Dar instruções confusas e imprecisas.
O bloqueio ao trabalho e a atribuição de erros imaginários.
Ignorar a presença de funcionário na frente de outros.
Pedir trabalhos urgentes sem necessidade.
Mandar o trabalhador realizar tarefas abaixo de sua capacidade profissional, fazer comentários maldosos em público.
Impor horários injustificados ou forçar o trabalhador a pedir demissão.
Impedir o trabalhador de almoçar ou conversar com um colega, disseminando boatos que desvalorizam e desqualificam profissional e pessoalmente; retirar o material necessário à execução do trabalho (fax, computador, telefone), isolando-o do convívio com os colegas.

Posturas discriminatórias proferidas especificamente contra trabalhadores adoentados e acidentados que retornam ao trabalho e que podem vir a ser caracterizadoras de assédio moral. São elas:

- Colocar o trabalhador em local sem nenhuma tarefa e/ou não lhe dar tarefa.
- Colocá-lo sentado, separado dos demais trabalhadores por paredes de vidros, de onde fica olhando-os trabalhar.
- Não fornecer ao trabalhador (ou retirar-lhe) todos os instrumentos de trabalho.
- Isolar os adoecidos em salas denominadas dos 'compatíveis'.
- Estimular a discriminação entre os sadios e adoecidos, chamando-os pejorativamente de incapazes.
- Diminuir salários do trabalhador quando este retorna ao trabalho.
- Demiti-lo após a estabilidade legal.
- Impedi-lo de andar pela empresa.
- Telefonar para a casa do funcionário e comunicar à sua família que ele ou ela não quer trabalhar.
- Controlar suas idas a médicos.
- Questionar acerca do falado em outro espaço.
- Criar obstáculos quando ele decide por procurar médicos fora da empresa.
- Não permitir que converse com antigos colegas dentro da empresa.
- Colocar um colega controlando o outro colega, disseminando a vigilância e desconfiança.
- Omitir doenças e acidentes.
- Demitir os adoecidos ou acidentados do trabalho.                                    (Continua)

Sem comentários: