[…] … "Modus operandi" das relações no trabalho:



- Novas exigências do ambiente laboral vêm sendo incorporadas gerando múltiplos sentimentos:

- medos
- incertezas
- angústia
- tristeza

- Ansiedade ante uma nova tarefa
- Medo de não saber
- Avaliação constante do desempenho sem o devido reconhecimento
- Requisição da eficácia técnica, excelência, criatividade e autonomia geram tensão e incertezas
- Abuso de poder
- Frequentes instruções confusas
- Maximização dos “erros” e culpas, que se repetem todos os dias
- Degradação deliberada das condições de trabalho

O ambiente laboral vem transformando-se em campo minado:
- pelo medo
- inveja
- disputas
- “fofocas”
- rivalidades transmitidos vertical e horizontalmente entre os gerentes e os trabalhadores em outras posições na empresa.

As consequências dessas vivências repercutem na individualidade do trabalhador, interferindo:

- com a sua qualidade de vida
- desajustes sociais
- transtornos psicológicos

Tamanhas mudanças que se, por um lado, fortaleceram as grandes empresas que viram seu lucro e riqueza aumentarem, por outro desvalorizaram o trabalho, relegando os trabalhadores a um segundo plano tornando-os escravos do trabalho.

Isto faz com que sofrimento e trabalho não caminhem juntos dentro das organizações, uma vez que para atingir a produtividade desejada a organização do trabalho faz deste um fardo pesado. Diante desse quadro, faz-se necessário compreender como o assédio moral se manifesta, é percebido pela gerência e funcionários e tratado dentro das organizações, uma vez que é um fenômeno presente na realidade organizacional, mas que freqüentemente é banalizado, e até ignorado; algumas vezes por indiferença, outras por covardia e, até mesmo, por desconhecimento. É um fenômeno destruidor do ambiente de trabalho, não só diminuindo a produtividade, como também favorecendo ao absentismo, devido aos desgastes psicológicos que provoca”.

Assédio moral é a deliberada degradação das condições de trabalho através do estabelecimento de comunicações não éticas (abusivas) que se caracterizam pela repetição por longo tempo de duração de um comportamento hostil que um superior ou colega (s) desenvolve (m) contra um indivíduo que apresenta, como reação, um quadro de miséria física, psicológica e social duradoura.
                                                                                                                                 (Continua)

Sem comentários: