Burocracia

Ó queridos meus amigos egoístas!
- somos lugares do Replay redondo,
postos nos casos dos amáveis postos
da nossa monotonia,
a transitória servidão altiva.
Os confortáveis, nós, os bem convictos,
que às ruas pequeninas nos juntamos
em vários grupos da igual cidade,
cá estamos, sociais comparsas,
no estilo de bem parecer
o gozo do imprevisto,
com burguesia, terciário ardor.
- Lá todos nos tramamos uns aos outros
de opinião e Letra nos empregos.
Municipais, nos invejamos todos
à mesa dos Cafés, descontraídos,
traçada a perna em gestos e dizeres.
Há quase sempre em nós do coração
a simpatia dum qualquer mal-estar
de haver um gajo que nos foi porreiro.
Até que alguma vez alguém se lembre
de se afastar e persistir mais perto
na própria lucidez, de ser inútil.

(In "Os Lagóias e os Estrangeiros", Carlos Garcia de Castro/Raul Ladeira)

Sem comentários: