Sê como o sândalo que perfuma o machado que o fere.

Penso que todos somos parte sândalo e parte machado.
Acredito que o sândalo não sabe que perfumou o machado, o sândalo é o sândalo, e sendo, doa seu perfume pois é sua essência natural, sem pensar, sem querer, ele apenas é.
O machado é o machado, não tem a consciência de ser machado, ele é o que é, apenas é. Não se sente perfumado pelo sândalo que feriu, nem se culpa por receber da ferida que causou, o perfume do sândalo...
Resta a reflexão, nós somos seres com consciência....
Quanto temos de sândalo e quanto temos de machado...
Ferimos algo ou alguém, sem ter consciência nenhuma....
Perfumamos algo ou alguém, sem ter consciência da mágoa..
Temos consciência de que ferimos quem nos dá perfume..
Como reagimos a uma agressão, mágoa ou ferida....
Nossa natural forma de ser é ferir sem pensar....
Nossa natural forma de ser é doar sem pensar...
Nem sou sândalo nem sou machado, tento ter parte humana.

L.V.

Sem comentários: