DESABAFO

Já estou a ficar sem paciência para tanta campanha contra um eventual governo de esquerda em Portugal!
Fazendo desde já um preâmbulo de que considero que o Partido Socialista deveria liderar a oposição e amarrar parlamentarmente os restantes partidos às suas iniciativas legislativas tenho a considerar:
1) Se realmente estão tão interessados em interpretar o sentido de voto dos portugueses aqui estão alguns números: a) 51% dos portugueses votaram contra as actuais políticas de austeridade, sobretaxa de IRS, jornada de 40H semanais, abolição de feriados e férias, corte nos salários, corte abonos de família, plafonamento da Segurança e a favor do reforço do Estado social, de mais direitos e segurança laboral;
b) 70% dos eleitores pronunciaram-se a favor da União Europeia, Euro, Nato, cumprimento das obrigações internacionais, contra a nacionalização da banca e de outros sectores de actividade;
2) As eleições legislativas não elegem directamente o Primeiro-Ministro. Elegem sim os representantes dos cidadãos, por cada círculo eleitoral, à Assembleia da República;
3) A Constituição não inibe a formação de coligações pré ou pós eleitorais;
4) Foi o Presidente da República que impôs como condição, para nomear um governo, a existência de uma maioria parlamentar;
5) O PS não pode ser forçado a "associar-se" ao PSD. Para tanta gente que quer interpretar o sentido de voto Socialista tenho a dizer que não votei para essa situação;
6) Gostaria de perguntar a quem votou PàF se concorda com a hipótese de uma coligação com o PS ou com a adopção do Programa eleitoral socialista;
7) Gostaria de perguntar a quem votou PSD em 2011, se a solução de governo conjunto com o CDS, estava previamente implícita e se concordavam com esse cenário;
8) Para quem diz que não é democrático dois partidos com cerca de 20% dos votos formarem governo pergunto então se é democrático o CDS estar há quatro anos na governação detendo pastas como Agricultura, Segurança Social, Economia, Ambiente e Ordenamento do Território;

O que é necessário perceber é que o mundo mudou e o equilíbrio de forças no parlamento também! A coligação pode saber interpretar o sentido de voto dos portugueses ou então resignar-se e perceber que a única solução de estabilidade governativa passa por um governo de esquerda!
Gonçalo Fernandes Costa

Sem comentários: