Conselho de Prevenção Civil usou foto da criança síria para apelar que se ensine os filhos a nadar

Gente sem o mínimo de dignidade nem de valores humanistas, não deveriam ocupar cargos públicos. 

O Conselho Português de Prevenção Civil (CPPC) recorreu à imagem do menino sírio morto numa praia turca para alertar para o problema dos afogamentos.
A dramática imagem que corre mundo desde quarta-feira foi usada em dois post no Facebook do CPPC. Num deles, com a seguinte mensagem: “Ensine o seu filho a nadar, para não passar o resto da vida a lamentar!”
E prossegue: “Embora a imagem seja de uma criança migrante que infelizmente morreu na travessia, estas imagens devem ter por utilidade a dupla sensibilização pelo drama da migração e simultaneamente de ação preventiva dos afogamentos em quaisquer circunstâncias”.
Num outro post, o CPPC coloca a imagem ao lado de um outra onde se vê um grupo de pessoas a tentar devolver ao mar um cetáceo encalhado numa praia e acrescenta a seguinte mensagem: “Lamentamos a morte de crianças mas pouco fazemos para evitar estas tragédias. Infelizmente mobilizamo-nos mais por outras espécies animais do que pela nossa própria espécie”.
Contactado pelo “Público”, que avançou a notícia, João Paulo Saraiva, presidente do CPPC, diz que as reações muito críticas a estes posts surpreenderam a organização, que é não-governamental. “Não compreendemos”, refere, citado pelo “Público”. Entretanto, os dois posts, sobejamente criticados, já foram retirados do Facebook.
Entretanto, o CPPC já publicou um post em que pede desculpas pelo sucedido.
(In, http://expresso.sapo.pt/sociedade/2015-09-03-Conselho-de-Prevencao-Civil-usou-foto-da-crianca-siria-para-apelar-que-se-ensine-os-filhos-a-nadar)

Sem comentários: